Cortina

Espero poder correr…

Com o vento vindo logo atrás de mim

 E sorrir sempre que te ver

Sorrindo ou não.

 Espero poder ficar…

E ver o pôr-do-sol

 Aquietando as dúvidas em meu coração.

 As luzes acesas

Denunciam a minha insônia interior

 Durmo, mas não adormeço

E o meu berço já não me nina mais

Já não é capaz de me fazer sentir segura.

 E ao meu berço já não pertenço

 E a minha casa agora é a rua

Pois em casa pouca coisa me é familiar.

 Agora a casa era pequena pra tanta alegria,pra tanta festa.

E quem fazia falta já não causava tanta dor.

Porque lá tinha tudo que se precisa pra sorrir.

 Aliás alimentei meu ego de ti

Bem que me disseram que era bom

 Como eu pude correr queimando assim?

 Por dentro e devagar…

Eu tava cansada de vagar por lugares sem sombra

E eu evitava encarar.

 Fugir foi fácil por tanto tempo.

 Tentando me botar pra dentro.

 Com os olhos abertos

 Bem abertos.

Ainda que incertos

Nesse deserto furacão.

(Raissa Lopes – 2010)

Anúncios

2 comentários sobre “Cortina

  1. Espero poder correr…

    Com o vento vindo logo atrás de mim

    E sorrir sempre que te ver

    Sorrindo ou não.

    Adorei especialmente essa parte.Lindo! Ultrapassar o vento e deixá-lo perseguir o rastro de seus pés…seria como não ter amarras, seria como apoderar a calma, seria como ter asas, quase posso sentir.

    A belas palavras se agradece com outras, brigadão pelo comentário e obrigada principalmente por ser meu público de um homem só!rs

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s