Luas

E quero é lua. E cheia. Feito eu. Nada de crescente. Nada de minguante. Nova talvez. Novidade é bom. Sai da rotina. Cola purpurina. Na noite. Na alma.  Brisas e neblinas. Trazem alvorada. Arrombam a madrugada. Não pedem permissão. Livres. Livres. Livres pra quê? Pra se lançar na imensidão. Tanta cor por vir. Tanto Sol queimando o passado…  Livre é meu coração.

Luas me levam de leve ao paraíso criado por mim. Pois sei criar, sim. Invento o tempo e ele se abre pra mim. Se cobre de mistérios que eu nem penso em desvendar. O mistério me atrai. Deixem o mistério ser. Luar, luar. Virá me borrar de prata. Me encher de beijos. Dos teus olhares de mel. Pobre de mim, que tenho medo de altura. Como poderei alcançar o céu?

                                                     (Raissa Lopes)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s