Uma Canção [3]

Foi na verdade um girto seco ecoando nós. Poesia plena à tona em todo coração. Prece pequena fez ressoar os sóis. E os céus se abriram num carrossel de luz. E a melodia nem cabia mais no peito. E tudo se fazia em flor, se estendia um leito. De rosas. De diferentes cores. De rosas. Celebrando o fato de nascer e respirar.

Foi na verdade uma pausa pra sentir. Pois às vezes corria demais. Lhe fugia a sensação de sorrir. Alguma coisa lhe era fugaz. Mais que dia de poemas, de canção. Atendia pelo nome de vento e se entregava à imensidão. De rosas. De diferentes cores. De rosas. Celebrando o fato de saber amar.

(Raissa Lopes)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s