Furta cor

Um beijo e denso se fez manhã.

Quero e penso que sou sol no mundo.

Longa chuva não tardou bater na porta.

Porte de armas com flores nos canos.

Ciganos e danças.

Danos e anos de paz.

Guerra iminente, greves se insinuam.

Ânimos se exaltam, exalam flechas letais.

Perigo e por isso se come quente o prato de vento.

Antes que esfrie e o tempo furte o sabor.

 

 

(Raissa Lopes)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s