Da semelhança

botoesVoltei e me plantei.

Reascendi. Liguei.

Você me lembra o orgulho ferido.

Os freios quebrados

Os feios e escassos fracassos

que sondaram a sua alma.

Como focar nesse consumo?

Me flagro bebendo em goles engasgantes

Sua semelhança com o passado próximo.

Sósia que vende uma ideia excitante de futuro ontem

De vingança repetitiva.

Suas proporções me adoecem.

Acho enebriante, mas preciso te reduzir.

(Raissa Lopes)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s