Rasgando papéis antigos 

  13.11.2012

Quantas vezes vou silenciar minhas ondas?

Tantas vezes elas quiseram gritar, quebrar nas pedras

Mas às vezes eu as sufoco sem querer, sem pensar.

Tantas cores, tanta força num olhar

Sim, senhores, elas me falam sobre o mar

Seus amores, ardores, queimores, rancores, suas dores ao luar

Rumores que as águas não dissipam 

Vapores que se impregnam em minha pele e ficam
(Raissa Lopes)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s